quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

plenamente

pessoas que eu não conheço,
com quem não converso,
     todas em volta de mim. e eu no centro

lateral,
no canto esquerdo
dos fundos,

próximo à porta de saída.

ali, olhei para todos os meios. peguei o carro,
me acidentei contra um muro imaginário
e, paraplegicamente,
     os meus dias
daí

vivi-os todos .plenamente.

     habituais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário