quinta-feira, 25 de novembro de 2010

brecha

- espera.

     fica mais um pouco.

- pra quê?
- não sei. sozinho eu sou muito diferente. mas eu não quero estar
sozinho,
     fica comigo!

- não sei.

     eu também sou diferente.

- por isso. junto a gente é outro.
fica um pouco mais.



     - vou ter que ir, a algum momento.
          - então já terei dormido.
- e quem vai fechar o portão?



- não sei. deixa aberto. quem sabe você volta.
- e se eu não voltar?
- talvez eu sonhe.

- ...

- talvez eu mude e tudo mude enquanto eu durmo.
talvez eu não precise mais que você esteja perto para eu ser
     igual. não daí pra adiante.
     espera um pouco mais?

- mais.

- ...
- ...
- ...

- não sei.


          não sei.

     ...
...

     - ...

- não sei

     ...deixa eu te cuidar?
- não sei. (dentro de mim é tudo esquisito.)
     - deixa eu entender?
     - não dá.
- deixa.
     - não dá.
          - então dorme.

     quem sabe eu veja o que sonha,
     quem sabe eu me explique também,
     eu também não sei de nada.
          ...

-

?
     ?


dorme também?
     - do teu lado?
- comigo.

.
.
...

     ...


     - boa noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário